Dívida de 20 mil foi a causa da morte de representante comercial - Portal Tem de Tudo Tocantins

Publicidade

Post Top Ad

Dívida de 20 mil foi a causa da morte de representante comercial

Share This
O suspeito de matar e queimar o corpo do representante comercial Reginaldo Costa Xavier, 39 anos, no sul do estado, cometeu o crime para não pagar uma dívida de R$ 20 mil. Esta foi a causa apontada no inquérito da Polícia Civil que foi concluído nesta quarta-feira (28). A vítima desapareceu no dia 4 de dezembro após ir a Gurupi. O corpo dele foi encontrado carbonizado três dias depois, em uma fazenda localizada em Cariri do Tocantins.
De acordo com as informações contidas no inquérito, o suspeito é Flávio Santana. No dia do crime, a vítima saiu de Paraíso do Tocantins, onde morava, com direção a Gurupi. A polícia disse que o autor, para não pagar a dívida, atraiu Xavier até o local onde o corpo foi encontrado usando do argumento de que iria pegar o dinheiro.
A vítima, então, acompanhou o suspeito até a fazenda que fica a 15 km de Cariri. Ao chegarem perto de uma plantação de soja, Santana teria atacado a vítima, provavelmente usando uma faca, e a assassinado com golpes na garganta e no tórax. Conforme o laudo pericial, o homem morreu devido a uma hemorragia interna provocada pelos golpes que atingiram o coração dele.
Após assassinar a vítima, Santana jogou fogo no corpo dela, conforme apontou o inquérito. O suspeito foi flagrado pela polícia, no momento em que tentava enterrar o corpo e foi preso com uma pá nas mãos. Ele foi indiciado por homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver. Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), o delegado Jacson Ribas pediu à justiça a conversão da prisão temporária do suspeito em prisão preventiva e encaminhou o inquérito ao Poder Judiciário e ao Ministério Público que deve oferecer denúncia nos próximos dias.

Entenda
O representante comercial Reginaldo Costa Xavier morava em Paraíso do Tocantins e desapareceu no dia 4 de dezembro do ano passado. Na época, ele disse à mulher que iria até Gurupi à trabalho. Segundo a mulher, a última vez que ela falou com o marido foi na hora do almoço e, após esse último contato, não conseguiu mais falar com o marido.

O boletim de ocorrência sobre o desaparecimento dele foi registrado no dia 5, na delegacia de Polícia Civil em Gurupi. Em depoimento, a mulher disse ainda que o marido tinha sido visto pela última vez na borracharia pertencente ao suspeito do crime.
Fonte: G1

Post Bottom Ad