Programa de Aquisição de Alimentos começa a operar no TO - Portal Tem de Tudo Tocantins

Publicidade

Post Top Ad

Programa de Aquisição de Alimentos começa a operar no TO

Share This
Com previsão de aplicar, no Tocantins, recursos na ordem de R$ 21,5 milhões, o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) começa as atividades deste ano. O início dos trabalhos acontecerá nesta sexta-feira, 19, em Palmas, a partir das 8h30, quando agricultores familiares entregarão alimentos no escritório local do Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins), para serem doados à Apae, ao Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Carrossel, às associações comunitárias de moradores e à Escola Municipal Henrique Talone.
De acordo com o coordenador estadual do programa, Adenieux Rosa Santana, o Governo do Estado, por meio de convênio firmado com o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome (MDS), atenderá mais de seis mil agricultores familiares, nos 139 municípios do Tocantins.
“A partir da próxima semana, os técnicos do Ruraltins nas unidades locais de serviço se reunirão com agricultores, entidades sociais e representantes das prefeituras para iniciar também o calendário de compra dos produtos. O agricultor cadastrado tem direito a comercializar até R$ 6, 5 mil por ano”, explicou o coordenador.
Como funciona
O objetivo do PAA é fortalecer a agricultura familiar, criando oportunidade de mercado ao pequeno agricultor e fazendo chegar alimentos em qualidade, quantidade e regularidade necessária às pessoas em situação de insegurança alimentar e nutricional.
No Tocantins, o Governo do Estado estima contemplar mil entidades. Entre os produtos fornecidos pelos agricultores estão: polpa de frutas, frutas, tomate, alface, coentro, cebolinha, rúcula, mandioca, inhame, feijão, limão, couve, cenoura, abóbora, além de produtos beneficiados de origem animal.
Participantes
Podem participar do programa agricultores, aquicultores, pescadores artesanais, silvicultores, extrativistas, indígenas, membros de comunidades remanescentes de quilombos, assentados da reforma agrária e atingidos por barragens.
Todo processo de comercialização e entrega dos alimentos é acompanhado por extensionistas rurais do Ruraltins, Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional, agentes do poder público municipal e responsáveis pelas entidades beneficiárias.

Post Bottom Ad