Serial killer que afogou pelo menos oito crianças é preso - Portal Tem de Tudo Tocantins

Publicidade

Post Top Ad

Serial killer que afogou pelo menos oito crianças é preso

Share This

Um homem acusado de matar oito crianças com idades entre cinco e 12 anos foi preso nesta terça-feira (8), em Praia Grande, no litoral de São Paulo, enquanto saía da casa onde morava. De acordo com a polícia, Douglas Baptista, de 62 anos, é considerado um dos maiores assassinos em série da história do litoral de São Paulo.Baptista, que já foi condenado pelos crimes, atacava crianças na Baixada Santista, principalmente em São Vicente, entre os anos de 1992 e 2003. O homem amarrava os braços e as pernas das vítimas e as jogava em rios e mangues para que se afogassem.Segundo informações
da polícia, Douglas foi abordado quando deixava um imóvel localizado no bairro Quietude. Neste momento, quando o suspeito avistou o carro da Polícia Militar que fazia patrulhamento pelo local, ele tentou fugir, mas foi abordado pelos policiais.De todas as oito vítimas de Douglas, sete eram meninas e um era menino. Dentre as crianças assassinadas, uma delas era enteada do serial killer. A polícia investiga a existência de novas vítimas do criminoso.Os últimos crimes conhecidos cometidos por ele foram os homicídios de Nathaly Jennifer Ribeiro e Najila de Jesus. Ambas tinham cinco anos de idade e foram levadas da frente da casa delas, na comunidade
Najila de Jesus morava em São Vicente e foi morta
por Douglas em 2003 (Foto: Arquivo / TV Tribuna)
do Jardim Sambaiatuba, no dia de natal em 2003. Na época, a polícia concluiu que o serial killer conhecia todas as vítimas e se tornou amigo de todas as famílias para facilitar a sua ação. Alguns corpos nunca foram localizados.
Após cometer o último assassinato em 2003, o serial killer morou em Porto Alegre durante algum tempo. Depois disso, ele foi preso e ficou na Penitenciária de São Vicente, mas recebeu alvará de soltura e estava
Nathaly Ribeiro foi levada de sua casa e achada
morta em Itanhaém (Foto: Arquivo / TV Tribuna)
respondendo em liberdade
Ainda de acordo com o Delegado de Plantão da Delegacia Sede de Praia Grande, Siulen Vieira Leung, os crimes de Douglas só foram reconhecidos neste ano pela Justiça. “Ele estava em liberdade, mas após o crime ser reconhecido e com o mandado de prisão ele passa a ficar sob o poder da Justiça”, explica o delegado. 

O caso foi encaminhado para a Delegacia Sede da cidade e, a partir de agora, a polícia investiga possíveis novos ataques do maníaco.
Fonte: G1

Post Bottom Ad