São Paulo custa a criar e, quando tem chances, não aprove - Portal Tem de Tudo Tocantins

Publicidade

Post Top Ad

São Paulo custa a criar e, quando tem chances, não aprove

Share This


O São Paulo armou com lentidão e finalizou sem precisão na noite de sábado, em Campinas. Assim, perdeu para o Ponte Preta por 1 a 0, pela sétima rodada do Paulistão, e continua sem vencer fora de casa – o adversário ganhou pela primeira vez como mandante.
Por convicção própria ou por pressão da torcida, pouco importa, Bauza finalmente tirou Centurión do time titular – na rodada passada, o atacante argentino não tinha jogado por contusão. Desta vez, ele foi para o banco, mas o São Paulo jogou do mesmo jeito. Na verdade, pior... Wesley, seu substituto do lado direito do ataque, foi bem menos acionado.Aos 24 minutos do primeiro tempo, do outro lado campo, o técnico tricolor teve que colocar Carlinhos no lugar de Michel Bastos, que saiu machucado. De novo, o troca de peças não alterou o modo de jogar do São Paulo.No Moisés Lucarelli, todas as bolas passavam por Ganso. Mas, mesmo circundado por vários companheiros, parecia que estava isolado. A velocidade não é uma das virtudes do meia. Assim, sozinho, sua atuação ficou ainda mais prejudicada. Michel Bastos (e depois Carlinhos) e Wesley não faziam questão de se aproximar.
Então, Ganso tentava jogar mais para frente. Na primeira dessas tentativas, teve a chance de abrir o placar, após a bola recuada por um adversário parar na poça d'água: o meia passou o pé por cima dela para tirá-la do lugar e tentou encobrir o goleiro João Carlos, mas acertou o travessãoApesar da lentidão no meio de campo, o São Paulo teve chances de fazer gols, principalmente com Calleri. O atacante argentino perdeu pelo menos três oportunidades, duas no segundo tempo, quando o Tricolor pressionou mais. O faro de gol mostrado em seus dois primeiros jogos está falhandoLugano fez seu segundo jogo na volta ao clube. Atrás, o zagueiro começou travando uma finalização ponte-pretana. Também apareceu em duas oportunidades no ataque, mas falhou nos cabeceios, bastante lamentados . No gol sofrido, a bola cruzada da ponta direita passou na frente do uruguaio antes de ser chutada por Reinaldo, lateral-esquerdo emprestado pelo São Paulo para a Ponte Preta, aos 42 do primeiro tempoAos 14 do segundo tempo, Bauza colocou Rogério no lugar de Thiago Mendes. Com isso, Wesley recuou para o lugar do volante, com o atacante passando a ocupar o lado direito do trio de meio-ataque. Ou seja: o esquema 4-2-3-1 se manteve intacto. Apenas aos 24, quando Alan Kardec substituiu Wesley, é que o técnico argentino tentou algo diferente.
Com dois centroavantes dentro da área e os laterais mais avançados, o Tricolor pressionou a Macaca, mas mais com cruzamentos do que com bolas trabalhadas pelo meio. Ganso recuou para marcar – e deixou claro depois do jogo que não gostou da ideia. Rogério e Calleri tentaram se mexer para ajudar na criação, mas o empate não veio.

Post Bottom Ad